CENTRAL DE NOTÍCIAS


17/04/2017

Pedagogia - Conteúdo e Metodologia da Ciência e do Meio Ambiente



Alunas de pedagogia desenvolvem experimentos como processo de aprendizagem Existem situações que somente demonstrando fenômenos na prática que conseguimos assimilar a teoria, o conceito. Esse pressuposto justifica a utilização de experiências em laboratórios durante as aulas no processo educativo. As aulas de ciências se transformam em palcos de demonstrações de fenômenos físicos e químicos. Além de ser um processo totalmente dinâmico, ainda despertam a curiosidade e prendem a atenção dos alunos.
Um estudo realizado na Universidade Federal de Juiz de Fora, quanto às “Atividades práticas e o ensino-aprendizagem de ciência(s): mitos, tendências e distorções”, aponta que ainda são pouco utilizadas essas formas de aprendizagem devido à insegurança, em outras à falta de apoio e infraestrutura da escola, gerando certa angústia pela não realização.
Segundo a pesquisa, acredita-se que “a indisciplina e falta de motivação dos alunos são vistas como consequência de um ensino maçante e essencialmente expositivo, da falta de preparo ou, até mesmo, da falta de motivação dos próprios professores”.
No ensino infantil esse recurso ainda é pouco explorado e muitas experiências científicas ficam apenas para os alunos do ginásio. O que deveria ser diferente, pois desde a infância os experimentos podem surtir efeitos positivos na aprendizagem. Pensando nisso, alunos do terceiro período de Pedagogia, da Faculdade Asser de Rio Claro, estão com projetos que incluem experimentos de Ciências, no laboratório de Química do campus.
Conforme a professora e responsável pela disciplina Conteúdo e Metodologia da Ciência e do Meio Ambiente, Gina Maria de Palma e Silva, a base é a partir do fundamento de que experimentar e aprender estão intimamente ligados. Ela ressalta que, “saber a teoria sobre uma matéria escolar, pesquisar em livros ou sites e estudar muito é importante para entender os conteúdos, mas quando partimos para experimentar, na prática como as coisas funcionam, aí sim fica muito mais fácil para realmente aprender”.
As experiências, realizadas no mês de abril durante a aula, incluíram tornados em frascos de vidro, minhocas bailarinas, enchimento automático de balões, além de mini vulcão submarino, barquinho de papel movido a sabão, simulador de chuveiro e dedo mágico. “São experimentos simples, bem elaborados, com materiais acessíveis que as alunas poderão, num futuro próximo, aplicar em qualquer escola que estiverem ministrando aulas”, disse a professora.






Newsletter ASSER
Rio Claro

Deixe seu email e receba nossas novidades »