CENTRAL DE NOTÍCIAS


13/08/2015

ARQUIVO DE RIO CLARO OFERECE OFICINA GRATUITA DE PAPEL MACHÊ



O Arquivo Público e Histórico de Rio Claro promoverá mais três oficinas de artes gratuitas a partir de agosto, nas manhãs de sábados. São oferecidas quinze vagas para cada oficina que incluem as técnicas de papel machê, argila e arte postal. A oficina de Papel Machê, com a chilena Leslie Calderón Miller, será ministrada no dia 22 de agosto, das 9 às 13 horas, na sede da autarquia, localizada na Rua 6, nº 3265, Alto do Santana, no NAM – Núcleo Administrativo Municipal. O workshop de argila será realizado pelo escultor Eraldo Lacerda, no dia 29 de agosto, e o de arte postal acontece em 5 de setembro, com o artista multimídia José Roberto Sechi. Segundo a superintendente do Arquivo Público, Maria Teresa de Arruda Campos, os workshops acontecem todos os anos em função do Salão de Artes Novos Olhares e têm o objetivo de estimular as pessoas a participarem do salão artístico. “As aulas de artes incentivam os alunos a participarem de concursos e mostras ou até mesmo aprender novas técnicas”, comenta Teresa que destaca a arte enquanto agente motivador e transformador social. A expressão papel machê é originária do francês papier mâché, que significa papel picado, amassado e esmagado. A arte do papel machê se desenvolveu na China, por volta de dois séculos antes de Cristo, e também em regiões das antigas Pérsia e Índia. Com baixo custo, por utilizar principalmente material reciclado, é uma técnica artesanal das mais versáteis e simples para se trabalhar. Na Europa foi primeiramente introduzido na França, daí a criação do seu nome, depois na Inglaterra e na Itália, onde as famosas máscaras de carnaval na cidade de Veneza eram confeccionadas com papel machê. Na Noruega também foi construída um igreja inteiramente com papel machê. A construção durou 37 anos em ótimo estado e depois foi demolida. Para a biologa ambiental Leslie Calderón, a oficina pretende apresentar elementos gerais e dicas que facilitarão o trabalho com o papel machê, em qualquer de suas formas, criando esculturas com esta técnica milenar. A partir da massa feita com papel picado embebido na água, coado e depois misturado com cola e gesso, é possível moldar inúmeras peças com diferentes formatos, seja de arte, decorativas, utilitárias, artesanal e brinquedos, entre outras. Como professora de arte educadora desde 2010, Leslie ministra, além de modelado em papel machê, oficinas de desenho animado e realiza trabalhos de ilustração infantil. A formação de bióloga reflete na criação de suas peças, que são representações da natureza como flores e animais. Com o trabalho focado principalmente para crianças, busca despertar o lúdico e a imaginação dos alunos. Os interessados podem fazer a inscrição na sede do Arquivo Público, onde será realizada a aula. As quinze vagas serão preenchidas por ordem de inscrição. O material utilizado como cola, gesso e madeirite será disponibilizado pela organização do evento. As oficinas oferecidas pelo Arquivo Público são gratuitas, entretanto os interessados em contribuir com o coffee break podem colaborar, opcionalmente, com valor de cinco reais. Mais informações podem ser obtidas com Gisele, pelo telefone (19) 3522.1948 e também pelo e-mail adm@aphrioclaro.sp.gov.br . A oficina de Isogravura (inspirada na xilogravura), com o artista plástico Luiz Miotto, foi realizada sábado (1) e apresentou a técnica adaptada para explorar as possibilidades do carimbo, utilizando o isopor ao invés da madeira.








Newsletter ASSER
Rio Claro

Deixe seu email e receba nossas novidades »